5 dicas para fazer consulta no SERASA

5-dicas-para-fazer-consulta-no-serasa-e-evitar-calotes-de-clientes

Vender sempre mais: esse é, sem dúvidas, o desejo de todo empresário. No entanto, para manter o negócio é preciso receber, e uma das principais armas para evitar a inadimplência é fazendo uma consulta no SERASA.

“Então quer dizer que basta fazer a consulta e está tudo certo?” Não é tão simples assim! É preciso ter equilíbrio e saber utilizar os métodos corretos para evitar que bons negócios sejam perdidos e, ao mesmo tempo, evitar calotes.

Mas quais são essas técnicas? Continue a leitura deste post e veja 5 dicas sobre o mecanismo de consulta no SERASA e como esse procedimento pode evitar o calote.

 

1. Faça consulta no SERASA

Faça uma análise de crédito rigorosa nos serviços de proteção ao crédito como SPC, SERASA, associações comerciais ou até mesmo pela internet. Não se sinta constrangido em buscar o maior número de informações para se certificar de que o cliente está com o nome limpo.

As informações podem ser conseguidas pelo site da Receita Federal e Boa Vista, mas esses métodos são limitados, seja pelas informações disponíveis ou porque apenas o próprio cliente pode consultar. Para estabelecimentos comerciais a alternativa mais conhecida é o Serasa Experian, que proporciona muita praticidade na consulta — mas é um serviço pago.

Esse é um processo habitual para o cliente, visto que ele já sabe que estará submetido a essas consultas quando realizar compras a prazo, mas faça de modo discreto. Caso a compra não seja autorizada, tenha atenção especial à comunicação para não deixar o consumidor constrangido.

 

2. Use formas legais de cobrança

Mesmo tomando todas as medidas cabíveis para evitar o não pagamento da compra do cliente, a sugestão é fazer a cobrança pelos meios legais. Valem telefonemas, cartas de cobrança, textos SMS e até mesmo um processo de boleto e uma ação de execução.

O mais importante é resolver a situação da forma mais vantajosa para cliente e para a empresa. Além desses cuidados, uma das opções é adotar o crediário em carnê, pois ele fideliza e faz com que estabelecimento e cliente tenham bom relacionamento, facilitando futuras cobranças por atrasos nos pagamentos.

 

 

3. Ajuste o crédito conforme o relacionamento

Ao realizar a primeira compra, não se deve conceder um crédito alto ao cliente. Deixe que essa relação comercial se consolide de forma gradativa por meio de compras bem-sucedidas. À medida que o cliente for se mostrando confiável, pagando as faturas em dia e honrando pequenos compromissos, você vai aumentando o crédito.

 

4. Tenha um contrato de prestação de serviços

Um contrato assinado antes da liberação de crédito é outra estratégia para que você possa se livrar do calote — não que isso evite que o cliente descumpra o que foi acordado, mas significa que ele estará consciente de todas as consequências do não pagamento da compra.

Esclareça os termos lembrando o que ele pode perder ao deixar de pagar seus boletos e conscientize-o da importância do pagamento.

 

5. Forneça sempre nota fiscal

Nunca realize uma venda sem a entrega na nota fiscal ao cliente. É importante saber que, além de ser ilegal, é uma prática que deixará você desprotegido em caso de inadimplência. Essa simples e rotineira prática lhe dará segurança jurídica e evitará muita dor de cabeça.

Nem sempre é fácil dizer não, especialmente quando se trata de uma venda, mas se você deseja evitar calotes e garantir a sustentabilidade da sua loja, faça a consulta no SERASA e siga as nossas dicas. Dessa forma vai ser possível manter as suas vendas, reduzir os calotes e aumentar sua lucratividade.

Gostou do conteúdo? Tem mais alguma dica para acrescentar? Deixe um comentário!

 

Quer saber mais sobre gestão financeira?

Preencha seu e-mail e receba conteúdos exclusivos para fazer a gestão financeira da sua loja: