O que é e como funciona o Pix

Está chegando o Pix, o novo meio de pagamento que pretende simplificar as transações e pagamentos. A tecnologia desenvolvida pelo banco central será mais uma opção também para lojistas.

Como funciona o Pix

A partir de novembro de 2020, os brasileiros passam a contar com um novo meio de pagamento para as transações do dia a dia. Trata-se do Pix, um meio de pagamento criado e regulamentado pelo Banco Central do Brasil.

O Pix é um meio de pagamento instantâneo, ou seja, o dinheiro é transferido imediatamente da conta bancária do pagador para a conta bancária do recebedor. Esse é um dos grandes diferenciais, além do fato de que o dinheiro pode ser movimentado a qualquer hora do dia e em todos os dias da semana, independente do horário de funcionamento dos estabelecimentos bancários.

Como funciona o Pix

Atualmente as transferências de dinheiro entre contas de instituições bancárias distintas acontecem através de DOC e TED, estando limitadas ao horário de funcionamento do sistema bancário. O Pix apresenta-se como o grande substituto do DOC e TEC, bem como tende a ganhar uma grande presença como alternativa ao cartão de débito.

Com o Pix, as pessoas poderão enviar dinheiro entre si em poucos segundos, através do celular. Não será necessário um aplicativo adicional, pois a opção Pix estará disponível nos aplicativos dos bancos e carteiras digitais, da mesma forma que estão disponíveis as opções de pagamento e transferência atualmente.

Como pagar com o Pix

Para realizar um pagamento via Pix, existem alguns caminhos possíveis:

  1. Através da leitura de um QR Code com a câmera do seu celular, após acessar a opção de fazer um Pix no aplicativo da sua instituição financeira ou conta digital.
  2. Informando a Chave Pix do recebedor, que pode ser CPF/CNPJ, e-mail ou telefone celular do recebedor, ou uma chave aleatória. Este procedimento pode ser feito tanto no aplicativo de celular ou no internet banking da sua instituição financeira ou conta digital.
  3. Também será possível fazer a transação digitando manualmente os dados da conta do recebedor, semelhante ao que se faz numa transferência via DOC ou TED.

meio de pagamento PIXO Pix traz uma forma de facilitar a identificação do recebedor quanto a realização de uma transação: a Chave Pix. Ela é utilizada para facilitar o recebimento de um Pix, mas não é um pré-requisito para fazer ou receber um Pix.

Embora não seja obrigatório, é fortemente recomendado o cadastramento da Chave Pix para quem deseja receber Pix. Uma vez que, para quem está enviando o dinheiro. Informar uma chave é muito mais prático do que informar manualmente todos os dados da conta do recebedor.

O procedimento de geração de Chave Pix é bastante simples. Funciona como uma espécie de processo de habilitação, que permite que cada pessoa ou empresa seja reconhecida de forma única dentro do sistema de pagamento.

Existem quatro formas de geração de Chave Pix: CPF ou CNPJ, e-mail, número de telefone celular ou através de uma chave aleatória. Composta por números e letras, gerada automaticamente sem a necessidade de informar dados pessoais.

É através da Chave Pix que o recebedor é identificado numa transação. Com a Chave Pix, além de reconhecer quem é a pessoa ou empresa, é feito o vínculo com a conta bancária, garantindo o correto destino do dinheiro movimentado.

A criação das Chaves Pix são feitas nos sistemas de internet banking e nos aplicativos para celular das instituições financeiras onde se possui uma conta. Além dos meios digitais, é possível realizar o procedimento nas agências bancárias.

Após realizar a criação da Chave Pix, é necessário confirmar o procedimento com um código que será enviar por SMS ou e-mail. Além dos processos de autenticação comumente adotados para segurança, como senha, reconhecimento facial ou biometria.

 

Quer saber mais sobre gestão de lojas?

Preencha seu e-mail e receba conteúdos exclusivo sobre gestão de lojas:

 

Como oferecer o Pix aos clientes da sua loja

O Pix tem tudo para ser uma grande revolução nos meios de pagamento no comércio. Portanto, não deixe de considerá-lo dentre as opções a serem aceitas no seu estabelecimento comercial.

Para quem deseja receber um Pix, pode fazê-lo através das seguintes opções:

  1. Gerar um QR Code e disponibilizar para o pagador realizar a leitura através da câmera do smartphone.
  2. Informar ao pagador a sua Chave Pix que, como explicado anteriormente, pode ser CPF/CNPJ, e-mail, número de telefone celular ou uma chave aleatória.

No caso da opção por QR Code, existe a possibilidade dele ser gerado uma única vez (QR Code Estático) e ser utilizado para todos os recebimentos ou pode ser gerado um novo QR Code para cada transação (QR Code Dinâmico).

O QR Code Estático é mais limitado em termos de funcionalidades e é indicado para recebimentos mais simples, que não demandem uma conciliação financeira ou a integração de sistemas, mais comum para pessoas físicas ou profissionais liberais.

Para o dia a dia dos comerciantes é mais indicado o QR Code Dinâmico, gerado a cada nova venda. Por possibilitar a integração nos sistemas de gestão para dar mais agilidade na hora da venda, bem como facilitar a conciliação automática dos recebimentos e a gestão financeira.

 

Banner - PIX

 

Se nenhuma das opções apresentadas for possível, há também a opção de informar os dados completos de sua conta ao pagador, que terá que digitá-los manualmente, num procedimento semelhante ao que é feito hoje para uma transferência via DOC e TED.

Logo que a transação estiver concluída, o dinheiro será automaticamente movimentado da conta do pagador para a conta do recebedor.

Uma preocupação que passa a fazer parte do dia a dia de quem administra um negócio é a gestão dos recebíveis. Uma vez que não haverá a emissão de comprovantes em papel como acontece nas vendas com cartão de crédito e débito. 

A partir disso, é fundamental contar com um bom sistema para controle das vendas e do fluxo financeiro. Além disso, a dinâmica para a geração dos códigos QR Code se torna muito mais facilitada quando o sistema de gestão oferecer a opção do Pix integrado ao processo de venda e emissão do cupom fiscal ou nota fiscal eletrônica.

Quanto custa o Pix?

Por se tratar de um meio de pagamento com poucos intermediários na sua cadeia, o Pix será uma opção muito mais barata que os cartões de crédito e débito, boleto e as transferências via DOC e TED, por exemplo.

Para o consumidor não haverá custo para realizar pagamentos. Bem como também não haverá incidência de tarifas quando uma pessoa física ou um Microempreendedor Individual (MEI) receber dinheiro através do Pix. Desde que não se trate da venda ou prestação de serviço ou do uso do Pix de forma não eletrônica, presencialmente numa agência bancária ou casa lotérica, por exemplo.

Já as empresas poderão ser tarifadas para receberem dinheiro através do Pix, de acordo com as políticas comerciais de cada instituição financeira.

Pix é seguro?

Uma preocupação comum entre as pessoas que utilizam meios eletrônicos para pagamentos é a segurança. Todos os dados e informações que são trafegados nas transações Pix estão protegidos pela legislação do sigilo bancário e pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Além disso, serão adotadas as mesmas medidas de segurança para autenticação e criptografia que já são aplicadas em outros meios de pagamento, como DOC e TED.

Esperamos que esse artigo tenha te ajudado a entender mais sobre o Pix . Para conferir mais artigos como esse, confira nosso blog, estamos sempre com novidades em assuntos como meios de pagamento, gestão de lojas, vendas e muito mais!

 

Experimente grátis!

Conheça o Hiper, um sistema para gestão, vendas e controle de estoque que facilitará o dia a dia do seu negócio. Preencha os seus dados no formulário abaixo e solicite um teste grátis.

Sistema Hiper, ideal para o seu negócio!