5-dicas-para-fazer-consulta-no-serasa-e-evitar-calotes-de-clientes

5 dicas para fazer consulta no SERASA

Buscar o crescimento da empresa é um dos maiores desejos dos empreendedores. Porém para isso, devem estar atentos e evitar a inadimplência dos clientes. Uma das formas mais práticas de evitar isso é através de uma consulta no SERASA.

Vender mais e crescer continuamente são, sem dúvidas, os principais desejos de todo empresário. No entanto, para manter o negócio saudável é preciso estar com as contas em dia e evitar ao máximo a inadimplência de seus clientes. Nessa etapa, uma das formas mais práticas é fazer uma consulta no SERASA.

Mas isso não quer dizer que basta fazer a consulta e está tudo certo. Não é tão simples assim, existem alguns passos e ações necessários. Antes de tudo é preciso ter equilíbrio, entender  e saber utilizar os métodos corretos para evitar que bons negócios sejam perdidos e, ao mesmo tempo, evitar calotes.

Mas afinal quais são as técnicas necessárias para ter esse equilíbrio entre fechar bons negócios e evitar clientes inadimplentes? Siga a leitura deste post e veja 5 dicas sobre o mecanismo de consulta do SERASA e como esse procedimento pode equilibrar a saúde do seu negócio e manter o seu fluxo de caixa positivo. 

1. Faça uma consulta no SERASA

Faça uma análise de crédito rigorosa nos serviços de proteção ao crédito como SPC e SERASA. Ambas são organizações que fazem uma análise de crédito com base nos dados dos clientes. Através das associações comerciais ou até mesmo pela internet. Não se sinta constrangido em buscar o maior número de informações para se certificar de que o cliente está com o nome limpo, ou seja, que não possui dívidas ou restrições.

As informações podem ser conseguidas pelo site da Receita Federal e Boa Vista, mas esses métodos são mais limitados, seja pelas informações disponíveis que são menos relevantes e até mesmo porque apenas o próprio cliente pode consultar. Para estabelecimentos comerciais a alternativa mais recomendada e conhecida é utilizar o Serasa Experian, que proporciona muitas informações relevantes e praticidade na hora da consulta —  porém é um serviço pago.

Esse é um processo habitual para o cliente, visto que normalmente seguradoras e empresas de crédito praticam as consultas sempre que o cliente realiza compras a prazo. Porém, mesmo assim recomendamos que sua empresa faça a consulta de modo discreto. Caso a compra não seja autorizada, tenha atenção especial à comunicação para não deixar o consumidor constrangido.

 

Diferenciais do PIX

 

2. Use formas legais de cobrança

Mesmo tomando todas as medidas cabíveis para evitar a falta de pagamento da compra por parte do cliente, caso ocorra o atraso, a sugestão é que a cobrança seja feita pelos meios legais. Ou seja, valem telefonemas, cartas de cobrança, textos SMS e até mesmo um processo de boleto e uma ação de execução.

O mais importante é resolver a situação da forma que seja mais vantajosa para o cliente e também para a empresa. Além desses cuidados, uma das opções é adotar o crediário em carnê, sendo uma ótima forma de fidelizar o cliente e estimular o bom relacionamento entre estabelecimento e cliente. Essa modalidade é uma ótima maneira de levar o seu cliente para loja e estimular compras futuras, pois você terá mais uma chance de mostrar seus novos produtos e contará com uma forma de pagamento amigável e segura para o cliente.

3. Ajuste o crédito conforme o relacionamento

Ajuste de CreditoApesar do crediário ser uma ótima opção para trazer mais segurança de pagamento e melhorar o relacionamento com o cliente. Não é indicado que essa seja a primeira forma de pagamento do cliente ao realizar a primeira compra.

Não é recomendado conceder um crédito muito alto ao cliente logo na primeira vez que ele compra na sua loja. Deixe que essa relação comercial se consolide de forma gradativa, construindo um relacionamento bem sucedido através de compras feitas e pagas com sucesso. À medida que o cliente for se mostrando confiável, pagando as faturas em dia e honrando pequenos compromissos, você pode ir aumentando o crédito.

4. Tenha um contrato de prestação de serviços

Um contrato assinado antes da liberação de crédito é outra estratégia para que você possa evitar o calote por parte do cliente— não que essa estratégia consiga evitar que o cliente descumpra o que foi acordado, mas significa que ele estará ciente e concordando com todas as consequências do não pagamento da compra.

Esse contrato acaba sendo mais viável caso sua empresa venda ou presente serviços, no caso de produtos tangíveis essa regra acaba sendo um pouco mais difícil de ser aplicada. Porém, da mesma forma é importante esclarecer para o cliente sobre suas dívidas, seja lembrando-o da importância do pagamento.

5. Forneça sempre nota fiscal

Nunca realize uma venda sem a entrega da nota fiscal ao cliente, esse documento é indispensável para o cliente e para a sua empresa. É importante saber que, além de ser ilegal, é uma prática que, caso você não realize, deixará sua empresa desprotegida se algum cliente não pagar a sua dívida. Por isso, o quanto antes, esteja de acordo com as regras. Essa simples e rotineira prática lhe dará segurança jurídica e evitará muita dor de cabeça.

Mas claro, sabemos que nem sempre é fácil dizer não, especialmente quando se trata de uma venda, mas se você deseja evitar calotes e garantir a sustentabilidade da sua loja, faça a consulta no SERASA e siga as nossas dicas. Dessa forma vai ser possível manter as suas vendas, reduzir os calotes e aumentar sua lucratividade.

Gostou das nossas dicas? Comenta aqui embaixo se ficou com alguma dúvida! Além disso, acompanhe nosso blog e confira dicas sobre gestão de loja, varejo digital, estoque e muito mais!

banner-promocionalbanner-promocional

Experimente grátis!

Conheça um sistema para gestão e vendas que facilitará o dia a dia do seu negócio. Preencha os seus dados no formulário abaixo e solicite um teste grátis.

Ops! A Hiper não atende o segmento selecionado. Mas não se preocupe, o grupo Linx tem soluções para seu segmento de negócio.Clique aqui e confira!