Internet das coisas no varejo: como a tecnologia impacta o setor?

A internet das coisas (IoT) é uma tecnologia caracterizada por um conjunto de objetos físicos ligados por meio de sensores. Ou seja, ela permite que os dispositivos conectados se comuniquem, avaliem e compartilhem informações entre si. Tudo isso é possível por intermédio de plataformas de software e redes baseadas em nuvem.

A internet das coisas no varejo pode incluir balcões infravermelhos de fluxo na loja, rastreamento de inventário RFID, sinalização digital, sistemas de rastreamento celular ou mesmo parear o smartphone de um cliente.

Neste artigo, você conhecerá como esse tipo de inovação pode impactar o setor varejista. Continue a leitura e fique por dentro desse tema.

Manutenção preditiva de equipamentos

Essa estratégia é utilizada para prever falhas de equipamentos, detectar problemas e gerenciar energia.

Por exemplo, em supermercados que possuem máquinas de refrigeração, quando elas são acopladas com sensores, torna-se possível prognosticar problemas de manutenção que eventualmente influenciariam no consumo de energia, seja para monitorar a variação de temperatura, seja para gerar economia. Assim, a loja garante a conservação dos alimentos perecíveis.

Consumidores conectados

O cliente conectado está influenciando cada vez mais os varejos físicos, afinal, ele pode verificar preços pelos celulares, a distância. Devido a essa realidade, alguns varejistas já oferecem promoções customizadas e serviços embasados na localização da clientela dentro do estabelecimento.

Antes, era habitual realizar propagandas de massa, com a perspectiva de alcançar um percentual razoável com as ofertas. Com a internet das coisas no varejo, é possível interpretar o cenário e descobrir onde e quando o consumidor necessita de suporte, permitido agir proativamente e com uma porcentagem de sucesso muito mais elevada.

Automação de armazéns

Quando o assunto é otimização de estoque e demanda de compras, é quase impossível não falar sobre automação de armazéns. A novidade é que a IoT permite averiguar as possibilidades de vendas do momento e detectar as compras perdidas no estabelecimento.

Vale mencionar que a tecnologia RFID é uma inovação bem testada da internet das coisas que pode ser utilizada para administrar estoques com mais segurança e eficiência.

Hoje, um armazém pode ser otimizado por prateleiras e corredores a partir de um esquema fixo, permitindo que os paletes sejam coordenados de forma automática e de acordo com os pedidos/saídas em tempo real.

Transporte inteligente

Mover mercadorias de forma estratégica é uma das funcionalidades do transporte inteligente em lojas. Nessa perspectiva, a internet das coisas no varejo pode adentrar com a manutenção do transporte, otimização e rastreamento de rotas.

Nos últimos anos, muitos varejistas usaram o GPS para rastrear cargas e roteá-las. Graças às aplicações da IoT, eles serão capazes de obter um nível de precisão tão alto, que saberão o quão perto um palete de produtos está do seu estabelecimento, por exemplo.

Loja inteligente

O fluxo de compras do público pode ser acompanhado pelos varejistas, a fim de compreender a jornada comercial dos possíveis clientes. Essa prática substitui pesquisas onerosas feitas pela inteligência analítica.

Dessa forma, é possível identificar padrões de comportamento dos consumidores dentro da loja e agir prontamente, encaminhando um atendente para ajudá-los ou coletar informações para otimizar o layout do estabelecimento.

Sem contar que isso permite melhorar a experiência de compra, oferecendo diversas estratégias de marketing digital, como conteúdos (vídeos ou postagens) relacionados às predileções dos compradores para convencê-los a fechar negócio.

Viu só como a internet das coisas no varejo pode impactar o engajamento da clientela e aumentar as vendas? O segredo para o sucesso é investir em tecnologias que possam otimizar seus processos de gestão e atendimento. Portanto, não perca mais tempo e comece já a pesquisar as inovações que se encaixam com as demandas do seu negócio!

Gostou deste conteúdo? Aproveite que chegou até aqui e conheça 5 tendências de consumo no varejo!

Diretor Comercial da Hiper