Novo limite do Simples Nacional: entenda as principais mudanças

É de suma importância que as empresas conheçam o novo limite do Simples Nacional. O regime foi reestruturado e as medidas entram em vigor em 2018. As margens para adesão foram alteradas e mais organizações podem ser enquadradas no modelo. Entender essas mudanças é fundamental para estruturar sua empresa!

Para dar suporte nessa tarefa preparamos um conteúdo que vai ajudar a entender as alterações. Continue conosco para conhecê-las e preparar seus negócios para receber os impactos!

Limite do Simples Nacional

Muitas instituições desejam utilizar o Simples Nacional como sistema tributário. Porém, existe um limite de faturamento por ano, que delimita quais organizações podem se enquadrar no regime.

Anteriormente, apenas empresas com receita bruta anual de até R$ 3,6 milhões podiam optar por ele. Agora, esse valor foi redefinido e organizações com receita de até R$ 4,8 milhões se enquadram e conseguem aproveitar o sistema.

Para aqueles que são registrados como MEI a situação também foi modificada. O novo limite do Simples Nacional permite um teto de enquadramento maior. Na versão antiga, esse valor era de até R$ 60 mil. Agora é possível permanecer no regime até o valor de R$ 81 mil reais.

Alíquota do Simples Nacional

As alíquotas pagas dentro do sistema Simples Nacional sobre a receita bruta passam a não existir mais. Na nova regra, será usada uma alíquota maior, no entanto haverá um desconto fixo, dependendo do enquadramento da empresa e seu faturamento.

Assim, para obter o valor da alíquota vai ser avaliado qual foi o faturamento bruto que se acumulou no período dos últimos doze meses e também um desconto fixo. Ou seja, algumas instituições vão sofrer aumento em sua carga tributária, enquanto outras, a redução. Por isso é essencial compreender esse assunto e buscar um especialista para ajudar a identificar qual é o seu caso.

Mudança na fiscalização

No novo sistema Simples Nacional está liberada a troca das informações entre a Receita Federal, a Receita Estadual e os municípios. Com isso, haverá integração dos dados enviados. Assim, as fiscalizações vão ficar mais pontuais.

Outro ponto importante quanto à fiscalização é a aplicação das multas. Antes, elas eram aplicadas diretamente. Agora, em caso de atividades ou situação de baixo risco, o fiscal deve fornecer prazo para a regularização antes de direcionar a cobrança.

Redutor de receita

Tal mudança tributária vai ter impacto principalmente para estabelecimentos que contratam cabeleireiros, manicures, esteticistas etc. Essas empresas pagam o valor cheio de imposto, inclusive em cima do que é pago para o profissional parceiro.

Não entendeu? Vamos explicar. Em um salão, por exemplo, um corte custa 50 reais. Porém o dono realizou um combinado com um profissional que ele ganha 20, dos 50, por cada cabelo cortado. Anteriormente, os impostos incidiam sobre os 50. Com a nova regra, ele vai ser cobrado apenas sobre os 30.

O novo limite do Simples Nacional possibilitou que empresas que antes não se enquadravam no teto do regime agora façam parte dele. É preciso estudar as novas medidas, a fim de localizar aquelas que se aplicam à sua empresa e vão ter impactos em seus negócios!

Nosso artigo trouxe atualizações úteis para a sua gestão? Quer receber sempre conteúdos como este para deixar sua administração em dia com as novas medidas? Assine a nossa newsletter e tenha tudo fresquinho em seu e-mail!