Custo Médio: conheça este método para controle de estoque

Metodos de controle de estoque - Custo médio

Você já calculou o custo médio dos itens do seu estoque? 

Costumamos falar que um bom controle de estoque é fundamental para um empreendimento de sucesso. Mas, se esse tema causa preocupação em você, fique tranquilo. Existe um método de controle de estoque simples e muito eficiente para ajudar você nessa missão, o custo médio.

Neste artigo, apresentarei todos os detalhes que você precisa saber para aplicar o método mais utilizado para controle de estoque em micro e pequenas empresas.

 

A importância do controle de estoque

Independente do tipo de produto fabricado, os gastos com a matéria-prima, equipamentos e funcionários, influenciam nos custos totais do seu negócio. Para trabalhar com a balança sempre positiva, a melhor alternativa para as empresas é utilizar um método de produção eficiente, que possibilita aumentar a produção com um custo mínimo.

Dentro do controle gerencial, os métodos de controle de estoque são essenciais para que tudo saia como planejado. Afinal, é a partir deles que você poderá calcular o preço a ser aplicado nos produtos que possui armazenado e encontrar um equilíbrio entre o lucro final e o prazo para vendas. Ou seja, o objetivo é sempre otimizar as vendas e o giro de estoque, além de reduzir desperdícios ou perdas.

 

Desenvolver um gerenciamento de estoque eficiente significa otimizar o planejamento de sua empresa para que o fluxo de materiais e produtos seja contínuo e não ocorram imprevistos. 

 

Custo médio ponderado

Um dos métodos de controle de estoque mais utilizados, e um dos mais indicados, é o Custo Médio. Também conhecido como preço médio ponderado, este sistema é famoso por ser simples de ser calculado.

O custo médio representa o valor a ser contabilizado pela média dos gastos com a aquisição de cada produto.

Realizar esse cálculo é fundamental, uma vez que todo comércio precisa de um planejamento eficaz para manter suas contas em dia. Mas é preciso ficar atento, muitos empreendedores com a prática do dia a dia, acabam realizando todos esses cálculos apenas de cabeça e sem nenhum controle mais elaborado. Como consequência, com o aumento dos preços para aquisição de novos itens, a conta se torna mais complexa e muitas lojas acabam enfrentando problemas por ignorá-los.

Ou seja, desconsiderar um aumento recente, pode gerar um preço mais baixo do que o necessário para manter as contas da empresa em dia. Pode acontecer também, de o produto sofrer um aumento expressivo e ainda ter muitos itens dele no estoque, neste exemplo, se as vendas diminuírem o prejuízo da loja poderá ser ainda maior. 

Por este motivo, é fundamental utilizar o cálculo de custo médio para equilibrar o valor de venda e, consequentemente, o lucro final de seu negócio.

 

Como calcular o custo médio?

Existem muitos fatores que influenciam no preço final de um produto, como por exemplo a inflação, o custo de transporte e o preço médio de mercado. Inclusive, é importante você ter esse último item como referência constante, para que o valor das suas mercadorias não ultrapasse muito o definido pelos seus concorrentes. Tendo em mente as informações, podemos partir para o cálculo. 

Muitos lojistas acabam pulando essa etapa por acharem muito complicada, mas fique tranquilo, é muito mais simples do que parece. Como essa é uma etapa importante do processo de vendas, criamos um exemplo prático para ajudar você. Confira:

Imagine que você produz o PRODUTO A e que no início do mês de janeiro você consiga produzir um lote de 100 unidades dele ao custo de R$500,00. Ao final do mês, você precisa produzir um novo lote do PRODUTO A, desta vez você produziu 200 unidades pelo valor de R$1150,00.

 

Produto A

Lote 01: 100 un – R$500,00

Lote 02: 200un – R$1150,00

 

O próximo passo é descobrir o custo total para produzir o Produto A: R$500,00 + R$1.150,00 = R$1.650,00

Dividir esse custo pelo número de unidades produzidas: 100 + 200 = 300 unidades

Custo médio: 1650 / 300 = R$5,50

 

Fácil, né?

Normalmente, divide-se o custo médio em ponderado fixo e ponderado móvel. Para que você diferencie esses conceitos de forma clara, explicaremos cada um de forma detalhada.

 

 

Custo médio ponderado fixo

O custo médio ponderado fixo é a média dos custos de materiais disponíveis para venda ou uso durante um único momento no final do mês ou do ano. 

Quanto maior for a sua produção, menor é o custo médio ponderado fixo.

 

Para chegar no valor correto, é necessário dividir o custo total dos materiais disponíveis para consumo ou produção pela quantidade equivalente desses mesmos materiais

Lembre-se: custo total é a soma do custo das compras líquidas realizadas durante o período selecionado com o custo do estoque inicial.

Fique atento: por ser uma apuração que acontece apenas no final de um longo período (mês, semestre, ano), o custo médio ponderado fixo só deve ser adotado por empresas que utilizam o sistema de inventário periódico.

 

Custo médio ponderado móvel

Embora possa ser considerado por muitos empresários como um método trabalhoso, o custo médio ponderado é a forma que melhor reflete as informações dos estoques remanescentes e custos de produção por período, além disso, ele também é o mais aceitável do ponto de vista fiscal brasileiro.

Sua principal característica é que o estoque final e o custo de mercadorias (vendidas ou requisitadas) para uso na produção são válidos considerando-se o preço de custo.

Como o próprio nome indica, ele representa as despesas que variam de acordo com a produção. Ao utilizar esse método de avaliação, você perceberá que o valor de cada unidade de produto em seu estoque será alterada com a compra ou a produção de outras unidades de preço diferente. Ou seja, quando a produção aumentar o valor será maior e quando a produção diminuir o valor também diminuirá.

Fique atento: se o sistema de controle de estoque adotado pela sua empresa  for o inventário permanente, você deve utilizar o custo médio ponderado móvel, pois o seu estoque é constantemente atualizado em sua contabilidade.

 

Métodos de avaliação de estoque

Após conhecer um pouco melhor sobre o custo médio, é necessário escolher um métodos de avaliação que auxiliará você na definição de parâmetros para análise durante o cálculo.

Um destes métodos é o PEPS e UEPS, duas ferramentas simples de serem aplicadas.

PEPS: o método “Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair” utiliza para cálculo o valor do lote mais antigo do estoque, assim, conforme os itens forem saindo, passa-se para o lote mais antigo entre os restantes.

UEPS: esse método funciona ao contrário do anterior, “Último a Entrar, Primeiro a Sair”. Desta forma, ele mantém a ordem de saída dos produtos, porém, para cálculo considera o valor dos produtos adquiridos mais recentemente. Uma forma eficaz de compensar possíveis aumentos nos custos dos produtos adquiridos.

Qual método de controle de estoque você utiliza na sua loja hoje? Na websérie Gestão de Pequenos Negócios na Prática, produzida pela Hiper e pelo Sebrae, o estoque é tema central do nosso segundo vídeo. Não deixe de conferir para aprender um pouco mais sobre o tema!

 

TESTE GRÁTIS: Sistema para Controle de Estoque

Conheça o Hiper, um sistema para gestão, vendas e controle de estoque que facilitará o dia a dia do seu negócio. Preencha os seus dados no formulário abaixo e solicite um teste grátis.

Sistema para Controle de Estoque