Afinal, qual é a diferença entre análise vertical e horizontal?

análise vertical e horizontal

As análises vertical e horizontal fazem parte da interpretação de um elemento contábil importantíssimo: o balanço patrimonial.

Composto por todos os lançamentos econômicos de um determinado período, ele diz qual é a real condição financeira de uma pessoa jurídica, dando base para a classificação de lucros e prejuízos.

Por isso, é fundamental saber qual é a utilidade das análises para aplicá-las em colaboração à gestão estratégica financeira do negócio. Quer ter essas ferramentas à sua disposição? Continue lendo!

 

Para que serve a análise vertical e horizontal?

Sabe-se que tanto a análise vertical quanto a horizontal estão ligadas ao balanço patrimonial. Ao analisar usando esses métodos, se tem a visão real da relação entre o desempenho econômico da organização e a tomada de decisão.

Logo, a partir da contabilidade se percebe qual elemento influencia em qual resultado. Sendo assim, essas análises demonstram seu poder traduzindo as demonstrações financeiras.

 

 

Como analisar verticalmente?

A análise vertical também é conhecida como “de estrutura”. Trata-se de verificar a participação percentual dos itens do demonstrativo financeiro.

Como seu nome pressupõe, ela se dá de baixo para cima ou de cima para baixo, verticalmente. Dessa forma, os resultados são apresentados em formato de cascata.

Além de analisar o balanço patrimonial, informando qual é a representatividade de cada conta — seja no ativo, seja no passivo —, pode ser aplicada também no demonstrativo de resultados e mostrar a participação de cada uma nos lucros e prejuízos do período.

Usa-se o valor total do ativo como base e então calcula-se o percentual de cada valor de conta, usando a seguinte fórmula:

análise vertical = grupo de contas ou conta / total do ativo ou passivo x 100.

Se percebe a relevância de cada valor diante da comparação com padrões de atuação de períodos anteriores.

 

Como analisar horizontalmente?

Ela é chamada de horizontal justamente por isso: a avaliação é feita seguindo uma “linha do tempo”, comparando os valores atuais com períodos anteriores.

Em outras palavras, coletam-se elementos semelhantes, mas dentro de exercícios diferentes. Assim, vê-se a progressão de cada conta, possibilitando a análise.

A fórmula usada nesse caso é:

análise horizontal = [(valor atual do elemento / valor do elemento no período base) – 1] x 100.

A análise horizontal torna possível perceber a evolução do demonstrativo de resultados, cálculo de demonstrativo do fluxo de caixa e balanço patrimonial. O período determinado para estudo vai indicar variações e crescimento, por meio da relação passado/presente.

 

Quais outras formas de análise são possíveis?

Independentemente do método utilizado para avaliar, o importante é manter o controle sobre as informações financeiras da organização, pois elas possibilitam o crescimento estruturado, dispensando crises por má administração e tomada de decisão equivocada.

Embora as análises vertical e horizontal sejam o foco de nosso conteúdo, há outros indicadores que podem ser calculados e usados estrategicamente na gestão financeira, levando em consideração fatores como o ativo, a liquidez, a rentabilidade e lucratividade e até as próprias obrigações contábeis da empresa.

Agrupar e analisar dados, principalmente quando em grande escala, pode ser um desafio. Por isso, é recomendável contar com ferramentas especializadas.

Mas para alcançar o sucesso, o colaborador precisa ser treinado e expert no assunto!

 

Teste o Hiper grátis!

Conheça um sistema para gestão e vendas que facilitará o dia a dia do seu negócio. Preencha os seus dados no formulário abaixo e solicite um teste grátis.
Experimente grátis